All for Joomla All for Webmasters
Edições
Workshop mostra as vantagens do uso de geossintéticos em aterros sanitários - Revista Fundações
15377
single,single-post,postid-15377,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,smooth_scroll,,qode-theme-ver-2.2,wpb-js-composer js-comp-ver-4.11.2.1,vc_responsive

Workshop mostra as vantagens do uso de geossintéticos em aterros sanitários

20:19 15 maio in Eventos, Site
Evento teve o objetivo de indicar ao mercado a eficiência do uso adequado dos materiais
Workshop de geossintéticos

Por Dafne Mazaia

 

Hoje aconteceu o “Workshop de Geossintéticos em Obras Ambientais”, em São Paulo. Promovido pelo CTG (Comitê Técnico de Geossintéticos) da ABINT (Associação Brasileira das Indústrias de Nãotecidos e Tecidos Técnicos), em parceria com a ABLP (Associação Brasileira de Limpeza Pública) o evento abordou as aplicações e os benefícios dos geossintéticos em aterros sanitários.

De acordo com o coordenador do CTG-ABINT, Fabricio Zambotto, o evento visou mostrar a eficiência dos geossintéticos ao mercado. “Os geossintéticos já são amplamente utilizados em projetos de aterros sanitários, principalmente para compor barreiras de controle de fluxo de base e na cobertura, mas é importante mostrar ao mercado, aos tomadores de decisão, o quanto essa solução é eficiente e quais são seus benefícios nessa aplicação. Mais do que isso, a intenção é reforçar que toda a garantia da eficiência da aplicação está ligada às normas relacionadas aos produtos e as boas práticas de uso”, argumenta Zambotto.

Voltado para profissionais de gestão ambiental, o workshop apresentou informações técnicas e ainda promoveu capacitação para novos negócios. Entre os temas que foram explorados, destacaram-se: os sistemas de coberturas de aterros, apresentado pelo diretor da ABLP e diretor-técnico da empresa Solvi, o engenheiro Eleusis Bruder Di Creddo; os aspectos de projeto para a correta especificação de geossintéticos, que foi ministrado pelo diretor-técnico da empresa ENG Consultoria e conselheiro da ABLP, Vinícius Benjamin; os planos e ações para garantir a qualidade de fabricação e instalação de geossintéticos, apresentado pelo diretor de operações brasileiras do TRI Ambiental, Julio Ferreira; e houve ainda uma palestra dedicada às normas e recomendações vigentes para os geossintéticos utilizados no Brasil e seus critérios de uso, que foi ministrada por representantes da IGS Brasil (Associação Brasileira de Geossintéticos).

Segundo Zambotto, há previsão de mais eventos do tipo este ano. “Ainda este ano deveremos ter um workshop do uso de geossintéticos em obras de infraestrutura de transportes, bem como novas ferramentas técnicas”, revela.

Editora Rudder

redacao@revistafundacoes.com.br