All for Joomla All for Webmasters
Edições
Setor da construção defende uso das Operações Urbanas Consorciadas para revitalização de áreas urbanas - Revista Fundações
14711
single,single-post,postid-14711,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,smooth_scroll,,qode-theme-ver-2.2,wpb-js-composer js-comp-ver-4.11.2.1,vc_responsive

Setor da construção defende uso das Operações Urbanas Consorciadas para revitalização de áreas urbanas

08:00 28 novembro in Matérias, Site
Modelo está sendo visto como oportunidade de negócio para empresas das áreas de construção e de infraestrutura
destaque
Este texto é do site da CBIC. A reprodução dele neste site faz parte do clipping diário da editora Rudder.

Divulgar oportunidades de investimentos em Operações Urbanas Consorciadas aos entes municipais, estaduais e aos empresários do setor da construção civil. Esse é o principal objetivo das ações que estão sendo desenvolvidas conjuntamente pelo Ministério das Cidades, Caixa Econômica Federal, Conselho Curador do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), por meio das suas Comissões da Indústria Imobiliária (CII) e de Infraestrutura (COP), com a correalização do Senai Nacional. A última deste ano será a realização do seminário “Oportunidades de Investimento em Operações Urbanas Consorciadas”, com apoio do Sinduscon-BA, no próximo dia 1º de dezembro, em Salvador, destinado a representantes da prefeitura, do governo estadual, das associações municipais e do mercado financeiro.  Outros quatro eventos já foram realizados neste ano, visando à revitalização de áreas urbanas, com uso desse instrumento pelas empresas do setor. O primeiro em Recife (PE), o segundo em São Paulo (SP), o terceiro em Curitiba (PR) e o quarto no Rio de Janeiro (BA), no Porto Maravilha, exemplo de OUC.

 “As OUCs são de grande importância para o setor da construção civil, porque proporcionam modernidade e infraestrutura em novas áreas ou áreas degradadas, o que permite incorporações com alto valor agregado em áreas que atraem empresas e famílias que buscam conforto, conveniência e modernidade. Esse modelo, consagrado mundialmente como ocorreu em Hamburgo e Buenos Ayres, possui enormes possibilidades no Brasil, principalmente neste momento de baixa capacidade de investimento do Estado”, destaca o superintendente geral da Ademi-RJ, Murillo Alevatto.

“São eventos muito importantes para todas as esferas do setor: municipal, estadual e federal e que abrangem entidades diversas e muitos tipos de investidores e, principalmente, a Caixa, como agente financeiro”, reforça presidente do Sinduscon-Rio, Roberto Kauffmann.

De acordo com o gerente Nacional do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e membro do Conselho Curador do FGTS (CCFGTS), Henrique José Santana, as avaliações dos eventos têm elogiado a iniciativa e organização, assim como destacado a importância dos temas tratados, pois integram aspectos relevantes dos interesses dos gestores municipais e da iniciativa privada, ao desperta o interesse na atuação conjunta para desenvolvimento urbano das cidades. “Esta atuação integrada contribui para a alteração substancial da paisagem com a recuperação e a valorização de áreas estratégicas da cidade, melhorando a utilização de espaços por muitas vezes subutilizados. Neste contexto é relevante a participação dos empresários e dos especialistas como agente de indução e na coparticipação da efetiva construção de alternativas adequadas à melhoria da qualidade de vida da Sociedade. Nos eventos são demonstradas intervenções urbanas já realizadas na modalidade Operação Urbana Consorciada, seus fatores de sucesso, seus pontos de atenção, em modelagens inovadores e diferenciadas, inclusive com recursos de diferentes fontes, como o FGTS”, completa Henrique José Santana.

Os interessados em participar do evento de Salvador (BA), podem efetuar suas inscrições até o próximo dia 29 de novembro, pelo Portal Capacidades. www.capacidades.gov.br/

.

Editora Rudder

redacao@revistafundacoes.com.br