All for Joomla All for Webmasters
Edições
O uso crescente dos plásticos na construção civil - Revista Fundações
15334
single,single-post,postid-15334,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,smooth_scroll,,qode-theme-ver-2.2,wpb-js-composer js-comp-ver-4.11.2.1,vc_responsive

O uso crescente dos plásticos na construção civil

08:00 04 maio in Matérias, Site
Moldáveis, flexíveis e resistentes, os plásticos estão se tornando materiais essenciais em alguns empreendimentos
plástico na construção civil

Por Dafne Mazaia

 

Originado da palavra grega plastikos, que significa “próprio para ser moldado ou modelado”, o plástico tornou-se uma peça curinga em muitos setores da vida cotidiana, seja para guardar utensílios domésticos, seja para decorar ambientes e até mesmo ser parte da composição de algum eletrônico. Com o conhecimento de suas propriedades, diversos ramos da construção civil estão utilizando o material para auxiliar nas obras e também no acabamento delas.

Os plásticos são criados a partir de resinas derivadas do petróleo e fazem parte do grupo das cadeias moleculares chamadas de polímeros. O início da fabricação dos plásticos sintéticos começou com a produção da baquelita (resina sintética), no início do século XX. Com a evolução da indústria e da química orgânica, muitas substâncias foram descobertas, como os poliestirenos, o vinil, as borrachas sintéticas e as poliuretanas e silicones, todos extraídos a partir de matérias-primas minerais e vegetais.

Costumam ser divididos em duas categorias: os termoplásticos e os termorrígidos. Os termoplásticos são conhecidos como os mais moles e não sofrem alterações em suas estruturas químicas após o aquecimento, podendo ser fundidos novamente para constituírem um novo material, além de serem recicláveis. São eles: o polipropeno, o polietileno de alta densidade, o polietileno de baixa densidade, entre outros. O segundo grupo não se funde após o aquecimento, assim como são insolúveis e não recicláveis. Entre eles, destacam-se as lentes de óculos, alguns utensílios de cozinha, algumas peças plásticas de aparelhos televisores, entre outros.

 

Vantagens nas obras

 

Desde seus primeiros usos, a sociedade entendeu como o plástico poderia ser empregado de diversas formas e em variados locais, inclusive como um material de construção. Entre os benefícios que o  tornaram um item essencial em obras, constam: a capacidade de deixar a obra mais ágil, a fácil instalação dos materiais, a maior resistência à corrosão dos produtos, deixando-os mais duráveis.

De acordo com a gerente de Inovação e Produtos da Mexichem Brasil, empresa detentora da marca Amanco, Fabiana Castro, o fato do plástico ser um produto mais durável, também reduz a necessidade de manutenção frequente, além de diversas facilidades que ele acarreta ao profissional que manuseia os materiais. “Devido aos avanços tecnológicos recentes, existem também materiais plásticos mais resistentes, com durabilidade superior a outros componentes comumente utilizados. Isso significa opções mais sustentáveis e baratas, pois demoram mais para sofrerem manutenção ou serem substituídos. Outro ponto a favor do plástico na construção civil é sua leveza, que facilita o transporte, manuseio e instalação, sem tirar sua robustez”, acrescenta.

O engenheiro civil e diretor da Master House, empresa de manutenções e reformas,da unidade da Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, Rômulo Tadeu Souza de Jesus, adiciona a fácil adaptabilidade do material, como mais uma das vantagens para a escolha de plásticos. “Por pertencer a um grupo de materiais capazes de serem moldados em diversas formas por meio da deformação, o plástico é um material que se torna indispensável nas obras”, informa.

Dentre os plásticos, existem os tipos que são mais aplicados no setor da construção civil, como o PVC (Policloreto de Polivinila), fiberglass, acrílico, silicones, polietileno, policarbonato, neoprene, poliamidas, entre outros. Há ainda aqueles que não são comumente empregados, como o hypalon, as resinas alquídicas, fenólicas e vinílicas.

 

Locais onde podem ser utilizados

 

Há ocasiões em que o plástico pode até substituir materiais convencionais da construção civil, como ferro e concreto, por exemplo. A empresa Amanco desenvolve tubos e conexões plásticas que substituem o ferro e concreto, empregados em obras de infraestrutura, como tubos de esgoto e de distribuição de água.

Segundo Fabiana Castro, há produtos da Amanco que evitam fissuras, dando um melhor resultado ao projeto. “A Amanco desenvolve soluções para obras de infraestrutura que são capazes de suportar a fratura frágil e a propagação lenta de fissuras. Isso proporciona ao tubo a formação da parede em camadas, que estrutura um meio contínuo, evitando a transmissão da falha”, diz.

Conforme a Country Manager da Radici Group, empresa italiana de poliamidas, intermediários químicos, plásticos, fibras sintéticas e não tecido no Brasil, Jane Campos, os plásticos são necessários também quando a obra demanda resistência e flexibilidade ao mesmo tempo. “Onde precisamos não somente de estruturas, mas também de resistência mecânica adicionada à flexibilidade, resistência a intempéries etc., são ocasiões em que eles podem ser utilizados. Um exemplo são os tubos de cobre para aquecedores que podem ser substituídos por tubos extrudados em poliamidas modificadas, como a nossa linha Radilon Xtreme que resiste a altas temperaturas e é de fácil moldagem”, explica.

 

Cuidados e reciclagem

 

Mesmo com tantos pontos positivos, os especialistas alertam para que sejam tomadas precauções ao lidar com os plásticos. De acordo com a gerente de Inovação e Produtos da Mexichem Brasil, da Amanco, deve-se evitar manusear o material próximo ao fogo, além de dar importância ao armazenamento. “Devem ser mantidos em locais sombreados, livres de ação direta ou exposição contínua ao sol, evitando possíveis deformações e descolorações provocadas pelos raios UV (ultravioleta)”, recomenda.

Fabiana Castro também adverte sobre a maneira como eles devem ser transportados. “Não é recomendado sobrepor as bolsas e/ou curvar os tubos; balançar e manusear bruscamente; permitir contato com extremidades pontiagudas; colocar materiais ou ferramentas sobre o tubo e andar sobre eles”, avisa. Para engenheiro civil e diretor da Master House, Rômulo Tadeu Souza, os profissionais também devem atentar-se ao tipo de plástico a ser usado. “Outro ponto importante refere-se ao uso de plásticos que não acarretam alterações físicas do material, pois podem perder suas características”, alerta.

Com os devidos cuidados, os plásticos podem ser até mesmo ser reciclados em empreendimentos que utilizem estes materiais. “O reaproveitamento de resíduos em obras, incluindo os plásticos, tem sido usual em vários empreendimentos, inclusive os que buscam a certificação LEED (Leadership in Energy and Environmental Design). Este selo é um diferencial em grandes empreendimentos hoje no Brasil”, conta. Cada vez mais em expansão no mundo, o plástico vem sendo muito utilizado e tornou-se fundamental em vários aspectos.

Trabalho de impermeabilização é destaque em projeto

Trabalho de impermeabilização é destaque em projeto

Leia também “Trabalho de Impermeabilização é destaque em projeto” – Edição 87 Revista Fundações

Editora Rudder

redacao@revistafundacoes.com.br