All for Joomla All for Webmasters
Edições
Áreas contaminadas: IPT ministra curso para Exército Brasileiro
15571
single,single-post,postid-15571,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,smooth_scroll,,qode-theme-ver-2.2,wpb-js-composer js-comp-ver-4.11.2.1,vc_responsive

Pesquisador do IPT ministra curso para o Exército Brasileiro sobre investigação de áreas contaminadas

08:00 05 julho in Matérias, Site
O treinamento incluiu a apresentação dos mais modernos e eficientes equipamentos para diagnóstico de áreas contaminadas por combustíveis
áreas contaminadas

A aplicação de técnicas de alta resolução para a investigação de áreas contaminadas e o acompanhamento de projetos de remediação foram os temas da apresentação ministrada pelo pesquisador Alexandre Muselli Barbosa, do Laboratório de Resíduos e Áreas Contaminadas do IPT, em treinamento para um corpo de engenheiros do Exército Brasileiro que atuam na Diretoria de Patrimônio Imobiliário e Meio Ambiente (Dpima).

A Dpima é o órgão de apoio técnico-normativo-consultivo do Departamento de Engenharia e Construção (DEC) do Exército Brasileiro, que tem por finalidade superintender as atividades relacionadas com a administração dos bens imóveis da União jurisdicionados ao Comando do Exército e o patrimônio ambiental nessas áreas.

A 2ª Região Militar – Comando Militar do Sudeste foi a responsável pela coordenação do treinamento, que foi realizado no 2º Batalhão de Infantaria Leve, na cidade de São Vicente (SP).

“Minha participação aconteceu em dois dias do treinamento realizado durante uma semana, e envolveu teoria, práticas de campo e interpretação de resultados para representantes de todo o País. Foi a primeira vez que o IPT ministrou um treinamento relacionado ao tema de áreas contaminadas ao Exército”, explica Barbosa.

Parte do treinamento incluiu a apresentação dos mais modernos e eficientes equipamentos para diagnóstico de áreas contaminadas por combustíveis. Instruções teóricas e práticas sobre sondagem de solo e definição de camadas hidroestratigráficas (mapeáveis com base nas propriedades hidráulicas) foram dadas aos engenheiros, dando a oportunidade de interação com equipamentos de alta resolução como o Membrane Interface Probe (MIP), de propriedade do IPT, e o Optical Image Profiler (OIP), que auxiliam na definição de problemas e apresentam informações mais confiáveis para a elaboração do diagnóstico ambiental da área.

O treinamento contou também com palestras de profissionais da Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb), do Instituto de Estudos Avançados do Mar (Ieamar) da Universidade Estadual Paulista (Unesp), da Clean Environment Brasil, da ECD Ambiental e da Finkler Ambiental.

Esta nota é do IPT. A reprodução dela neste site faz parte do clippling da editora Rudder.

Editora Rudder

redacao@revistafundacoes.com.br