All for Joomla All for Webmasters
Edições
Governador anuncia início do projeto do Macroanel em SP - Revista Fundações
15329
single,single-post,postid-15329,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,smooth_scroll,,qode-theme-ver-2.2,wpb-js-composer js-comp-ver-4.11.2.1,vc_responsive

Governador anuncia início do projeto do Macroanel em SP

12:00 03 maio in Matérias, Site
De acordo com França, projeto está sendo desenhado e o governo já estuda como será feita a operação financeira para viabilizar as obras
Macroanel em SP

Esta nota é do Governo do Estado de São Paulo. A reprodução dela neste site faz parte do clipping da editora Rudder.

Durante visita às obras que possibilitaram a reabertura da Rodovia Dom Paulo Rolim Loureiro (SP-098), a Mogi-Bertioga, liberada ao tráfego nesta quarta-feira (2) após vistoria técnica constatar que o talude do Km 89 apresenta estabilização satisfatória para a segurança dos usuários, o governador Márcio França falou à imprensa sobre o início de um outro projeto, o Macroanel viário de São Paulo.

De acordo com França, o projeto está sendo desenhado e o governo já estuda como será feita a operação financeira para viabilizar as obras. “A vontade política já existe, nós vamos fazer o Macroanel porque, como o Rodoanel encerra em dezembro, São Paulo já tem demanda suficiente para fazer um anel por fora do anel. Em todos os lugares do mundo, quando você tem muita demanda, você vai fazendo anel por fora do anel. E embora seja muito maior que o atual Rodoanel, ele vai interligar posições que já existem. São pequenos trechos que já existem, exceto as duas serras, a daqui e a do Vale do Ribeira”, adiantou o governador. Ele também comentou que o projeto do Macroanel prevê uma alteração em toda a Rodovia Mogi-Bertioga.

De acordo com França, o Macroanel prevê a duplicação da Mogi-Bertioga e da Piraí-juquiá, até a cidade de Santos. “São duas alternativas que vão por fora do Rodoanel. Serão alguns poucos trechos de duplicação, entre eles esse aqui em Tapiraí e mais dois pequenos trechos de 23 quilômetros. Então, no total, é uma obra que, embora seja muito maior, ela acaba sendo de custo menor porque tem pouca duplicação e pouca obra nova para ser feita”, concluiu.

Editora Rudder

redacao@revistafundacoes.com.br