All for Joomla All for Webmasters
Edições
Fundações do Residencial Yachthouse - Revista Fundações
15133
single,single-post,postid-15133,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,smooth_scroll,,qode-theme-ver-2.2,wpb-js-composer js-comp-ver-4.11.2.1,vc_responsive

Fundações do Residencial Yachthouse

imagem Residencial Yachthouse

Fundações do Residencial Yachthouse

17:48 16 março in Matérias, Site
Etapa de fundações do Residencial Yachthouse utiliza 4.600 m³ de concreto

Projeto necessitou de uma execução complexa devido à magnitude das cargas envolvidas

Por Dellana Wolney

Com uma estrutura grandiosa, a obra do Yachthouse Residence Club também ficou marcada pela complexa etapa de fundação executada. A imponência vai além da quantidade de andares e dos mais de 80 pavimentos em cada torre de 227 m de altura. Os números de todas as etapas impressionam. Nos apartamentos, a amplitude dos espaços possui cerca de 250 m² privativos e 450 m² de área total.

Na etapa de fundação, que durou aproximadamente um ano e meio, pelo menos 4.562 caminhões de cimento foram utilizados, 4.600 m³ de concreto somente para a concretagem dos blocos. Desde o ensaio, até a logística, mais de nove etapas compuseram o planejamento e até a importação de equipamentos foi necessária para a execução da concretagem.

O engenheiro civil da Construtora e Incorporadora Pasqualotto, Davi Rotilli conta que na obra do Yachthouse os ensaios geotécnicos, bem como o projeto e a execução das fundações, foram importantes e complexas, devido à magnitude das cargas envolvidas. “A partir dos resultados de ensaios de caracterização do solo, por meio de sondagem tipo CPT (Cone Penetration Test), SPT (Standard Penetration Test) e rotativa, bem como das cargas previstas para a superestrutura, os profissionais de geotecnia e de projeto estrutural escolheram o tipo de fundação mais adequada para solucionar a questão”, afirma.

Com o objetivo de garantir o desempenho da solução de fundação adotada, também foram realizados diversos controles, tanto para a execução quanto para os materiais empregados na obra. O início do controle se deu pelo acompanhamento da locação das estacas e pela topografia. Para a etapa de concretagem, o cimento de cada caminhão betoneira foi ensaiado quanto à sua resistência e fluidez, bem como a posição de lançamento de cada um deles foi registrada em mapas de concretagem para garantir a rastreabilidade.

Após a concretagem das estacas, procederam-se os ensaios PIT (Pile Integrity Test), para verificação da qualidade de execução, ensaios de carregamento estático e dinâmico para a checagem dos resultados de capacidade de carga, de forma que estivessem compatíveis com o esperado em projeto.

Fundações

A solução escolhida para a fundação foi o Radier Estaqueado que consiste em um bloco de fundação de grandes dimensões, apoiado sobre um berço formado por estacas do tipo hélice contínua monitorada. “A fase de concretagem destes blocos foi muito desafiadora, inclusive porque houve o rebaixamento do lençol freático, que exigiu um estudo minucioso, pois para esta execução também seria necessário rebaixar a água para conseguir concretar aproximadamente 5,5 m de profundidade”, explica Rotilli.

Os blocos, como salientado, demandaram grandes quantidades de concreto que exigiu um traço de até 50 Mpa (Megapascal). Desta forma, foram necessários diversos estudos para cuidar da temperatura que o concreto atingiria, respeitando ao mesmo tempo as normas vigentes. Foram utilizados cerca de 100 kg de gelo por m³ de concreto. A concretagem foi realizada por camadas, a fim de não atingir os limites de temperaturas exigidos pela norma.

Outro ponto de destaque foi a logística utilizada para conseguir atingir as metas diárias de concretagem. Para isso foi preciso analisar desde o tempo de descarga de um caminhão até o seu deslocamento entre a usina e a obra, visto que por ser uma cidade litorânea e com um trânsito bastante intenso, necessitou de uma atenção maior neste aspecto. As concretagens foram realizadas com duas bombas de concreto. Cerca de 60 caminhões eram descarregados diariamente.

Outras técnicas destacaram-se na obra do Yachthouse desde o traço do concreto que teve que ser desenvolvido especificamente para esses blocos de fundações até a descarga do caminhão que exigiu que o concreto tivesse no máximo 23 graus, sendo assim controlado por meio de termômetros. Nos blocos também foram instalados termopares, com a finalidade de acompanhar o crescimento de temperatura durante a hidratação do concreto.

“Atingimos temperaturas entre 65º e 68º graus, estando bem abaixo do que a norma exige para concretos com adição de pozolana. As camadas concretadas por dia variaram entre 50 a 80 cm. Por estarem nesta forma, tivemos que usar recovery, um aditivo que retarda a pega do concreto até o descarregamento do próximo dia, pois as concretagens respeitavam também o horário permitido pela cidade que era das 8h às 18h”, acrescenta Rotilli.

Desafios

Conheça quais foram os principais desafios que compuseram a obra do Yachthouse:

Fundação

Dimensão do bloco, volume de concreto e peso de aço. Neste ponto, o que dificultou foi a logística para montagem da armação, composta em sua maioria por barras de diâmetro de 40 mm.

Estrutura

Transporte vertical de materiais, sendo que para o aço utilizou-se uma grua em cada torre e para a concretagem foi instalado um mastro para distribuição do concreto.

Pavimentos Outrigger

Foram projetados dois pavimentos outrigger nas duas torres, sendo que cada um deles possui volume de concreto e peso de aço equivalente a três pavimentos de apartamento. Esse montante de materiais dificultou muito a execução.

Fachada

O planejamento de execução da fachada é muito complexo, pois se trata de um sistema unitizado. Nesta forma de execução os painéis já vêm direto da fábrica e são confeccionados com 3,24 m de altura e acoplados à estrutura do prédio por meio de ancoragens previamente fixadas. O maior desafio desse sistema é garantir que todos os painéis sejam distribuídos para os pavimentos e o sistema de içamento para instalação.

Preventivo Contra Incêndio

Nesta etapa existem diversos dispositivos não convencionais como: instalação de sprinkler em todos os pavimentos, escada pressurizada e janelas de desenfumagem.

Instalações Hidrossanitárias

Aqui o maior desafio é garantir o bombeamento e a pressão uniforme da água em todos os apartamentos.

FICHA TÉCNICA

Projeto de Fundação – REICAL Engenharia

Projeto de Contenção – Emepê Fundações

Fundação Profunda (Hélice Contínua) – UNIÃO, EXPLORER e EFEG – Gleison

Sondagem – Solo Sondagem e Construções

Prova de Carga Estática – GEOCAP

Prova de Carga Dinâmica e Ensaio PIT – SOLUGEOT Soluções Geotécnicas

Projeto Estrutural – REICAL Engenharia e OM RAMIR – Oscar Ramires

Concreto – Concrebras

 

Créditos das fotos: Divulgação Pasqualotto

Davi Rotilli

engenharia@pasqualottoegt.com.br

www.construtorapasqualotto.com.br

Editora Rudder

redacao@revistafundacoes.com.br