All for Joomla All for Webmasters
Nível de emprego na construção cresce pela primeira vez em 33 meses - Revista Fundações
14384
single,single-post,postid-14384,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,smooth_scroll,,qode-theme-ver-2.2,wpb-js-composer js-comp-ver-4.11.2.1,vc_responsive

Nível de emprego na construção cresce pela primeira vez em 33 meses

18:46 18 setembro in Matérias, Site
Com as contratações realizadas no mês de julho, estoque saltou de 2,457 milhões para 2,458 milhões; o número é a primeira variação positiva após quase três anos
Do freepick

Este texto é do site da AECWeb. A reprodução dele neste site faz parte do clipping diário da editora Rudder.

O nível do emprego na construção civil subiu após 33 meses de queda. Em julho foram contratados 1.677 trabalhadores, cerca de 0,07% a mais do que no mês anterior – com destaque para o setor de infraestrutura, com aumento de 1,04%.

Os dados são da pesquisa realizada pelo Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo (SindusCon-SP) em parceria com a Fundação Getúlio Vargas (FGV), com base em informações do Ministério do Trabalho e do Emprego (MTE).

No entanto, de acordo com o presidente da SindusCon-SP, José Romeu Ferraz Neto, a melhora é pontual nos setores de obras de infraestrutura e preparação de terrenos. Nos outros segmentos o nível deve continuar a cair até o final do ano. “Tanto a atividade da construção imobiliária como a de infraestrutura seguirão em queda em 2017”, explica Neto.

Segmentação

A análise do acumulado dos últimos 12 meses mostra que o resultado ainda é negativo, com eliminação de 10,31% das vagas. Em comparação com o mesmo período do ano anterior, a baixa foi maior, de 12,63%. O setor que demitiu mais durante esse período foi o imobiliário, com – 13,66%.

Três das cinco regiões do Brasil apresentaram aumento nos postos de trabalho: Norte (1,21%), Centro-Oeste (0,97%) e Nordeste (0,05%). Em contrapartida, o Sudeste (-0,16%) e Sul (-0,04%) registraram baixa em julho.

Empregos por regiões do Brasil em julho de 2017:

Região Variação mensal (%) Variação absoluta do estoque
Centro-Oeste 0,97 1.913
Nordeste 0,05 220
Norte 1,21 1.624
Sudeste – 0,16 – 1.922
Sul – 0,04 – 158
Brasil (total) 0,07 1.677

Editora Rudder

redacao@revistafundacoes.com.br