All for Joomla All for Webmasters
Edições
Custo da construção paulista cresceu 0,55% em maio
15465
single,single-post,postid-15465,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,smooth_scroll,,qode-theme-ver-2.2,wpb-js-composer js-comp-ver-4.11.2.1,vc_responsive

Custo da construção paulista cresceu 0,55% em maio, afirma SindusCon-SP

08:00 06 junho in Matérias, Site
Alta ocorreu em materiais que dependem de câmbio e derivados de petróleo e naqueles onde o frete é um componente importante
custo da construção paulista

Esta nota é do Sinduscon-SP. A reprodução dela neste site faz parte do clipping da editora Rudder. 

Por Enzo Bertolini

O Custo Unitário Básico (CUB) da construção civil do estado de São Paulo cresceu 0,55% em maio na comparação com o mês anterior. Em 12 meses a alta é de 3,02% (apenas em março não houve aumento).

De acordo com o SindusCon-SP, responsável pelo levantamento, o CUB representativo da construção paulista (R8-N) ficou em R$ 1.348,41 por metro quadrado no período.

Dentro da composição do indicador, os custos médios com mão de obra representaram 61,30%, materiais, 35,51% e despesas administrativas 3,19%.

Custos dos insumos

Em maio, três itens que compõem o CUB registraram variação positiva maior que o IGP-M (1,38%): fio cobre antichama isol. 750 V 2,5 mm² (1,66%), bloco vedação para alvenaria vedação 9x19x19 cm (1,61%) e esquadrias de correr 4 folhas al. 2,0×1,4 m (1,48%).

Entre os materiais de maior relevância para o cálculo do CUB, registraram alta o cimento CPE-32 saco 50 kg (1,06%) e aço CA-50 Ø 10 mm (0,77%). Por outro lado, o concreto FCK=25 MPa caiu 0,42% em maio na comparação com abril.

De acordo com o vice-presidente de Economia do SindusCon-SP, Eduardo Zaidan, o resultado de maio contou com alguma variação positiva nos preços de materiais que dependem de câmbio e derivados de petróleo e naqueles onde o frete é um componente importante, notadamente os de baixo valor por unidade de peso.

“Também houve variação do preço da mão de obra em função do acordo coletivo, embora ainda haverá algum reflexo nos próximos meses na medida em que os demais municípios do estado assinem os acordos.”

Ainda segundo o executivo, “no acumulado em 12 meses, os custos do setor estão alinhados com a inflação média da economia e em função da baixa demanda não devem ter comportamento muito diferente dos demais setores industriais”.

Com desoneração

Nas obras incluídas na desoneração da folha de pagamentos também houve alta de 0,55% em maio na comparação com abril, totalizando R$ 1.249,74 por metro quadrado. Em 12 meses, o indicador registra alta de 3,07%.

Na mesma base de comparação, foi registrada participação de 58,25% nos custos de mão de obra, 38,31% de materiais e 3,44% em despesas administrativas. 

Custo Unitário Básico (CUB)

Calculado pelo SindusCon-SP e pela Fundação Getulio Vargas (FGV), o Custo Unitário Básico (CUB) é o índice oficial que reflete a variação dos custos mensais das construtoras para a utilização nos reajustes dos contratos de obras.

Editora Rudder

redacao@revistafundacoes.com.br